O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

16 de mai de 2011

INSENSATEZ



[...]Já não se encontram mais pessoas sensatas por aí. Já não se sabe, ao menos, o que essa palavra quer dizer. Aquele que sofre com a insensatez do outro age inconsequentemente igual devido a decisões não-nobres, impensadas e a conclusões mal-estruturadas. É muito comum ver negros maldizendo homossexuais, que em nada bendizem gordos, que excomungam mulheres, que difamam homens, que, por serem brancos ou pseudobrancos, se dizem melhores que os negros que maldizem os homossexuais...[...]

É um ciclo vicioso infindo e insensato. Quem tem razão nisso tudo? O negro macho que não atura homossexual? O branco que não é tão viril e dotadocomo o negro, mas é superior a ele porque não foi escravo? O gordo que é homem e, não, pederasta ou negro, e vale lembrar: (graças a Deus) também não é mulher? Ou as mulheres que não são aberrações como os gays nem como os gordos e não são, tampouco, homens (que, a saber, nenhum presta.)?


Onde está a razão disso tudo?

Racismo, discriminação e prepotência? Tudo isso é besteira. A sociedade é assim: há quem perde e quem ganha; o que nasceu para sorrir e o que nasceu para chorar. Pensar em preconceito é mesmo besteira (é como se diz: beleza interior só é importante para os feios). Há que se pensar no comandante e no comandado. A vida é assim. Essa é que é a verdade!
A natureza humana não é assim. Isso é resultado do meio, das más influências. Mas, também, há uma pitada de mau-senso, mau-gosto, de mau-instinto, de maldade propriamente dita. Ninguém quer perder, ninguém quer ter o seu depredado. O feio é sempre o outro, aquele que é mais pobre que eu, que não tem o cabelo bom como o meu, cuja pele não é como a minha (é a raça impura). É como um espelho para Narciso. Seria isso uma espécie de defesa? Talvez, mas uma defesa inconsequente, que não pensa no outro como um ser igual. As pessoas se defendem atacando o outro. É oeu pelo eu, e o resto que se dane!

É a lei do mais forte, em que sobrevive aquele que puder pisar o outro, humilhar, mostrar que é primaz. E a raça humana vai se sujando com a discriminação e um senso errôneo de superioridade e vai se mostrando desumana, irracional.


Quem ganha com isso? Não se sabe. Mas quem perde por certo é o bom-senso.

As pessoas já não se importam em amar. Tudo está banalizado. As nossas crianças já chegam ao mundo rodeadas de preceitos, conceitos e preconceitos. Um filho que cresce sabendo que é branco, porque a mãe (preconceituosa) trocou um rapaz negro de quem gostava por um branco e se vangloria por isso dizendo: "Se eu não tivesse casado com ele, você seria 'preta' do cabelo duro", jamais valorizará a amiguinha negra da classe. Uma adolescente que ouve do pai que aquele negro não é para ela. O que vai pensar? Os valores de hoje começaram errado nos tetravós e foram (e vêm) sendo passados de pai a pai. O ciclo vicioso é preocupante, todavia ninguém percebe o quanto. A sociedade tem estado doente. A cura para essa doença está na sensatez que cada um deve e pode ter. Porém, parece que os vírus do preconceito e da discriminação estão em permanente mutação e a vacina não faz efeito e vai sendo deixada de lado. Enquanto alguns tentam conscientizar as novas gerações de que somos iguais; outros pregam o contrário com atos, falas e pensamentos, e isso se impregna nelas e vai piorando, piorando, piorando e piorando. E nossas crianças vão se ver no direto de não querer entrar no transporte escolar, porque não querem sentar-se ao lado daquele negrinho, daquele índio ou daquele nordestino; nem meu filho pode se misturar ao coleguinha que tem Aids, ao que é deficiente físico ou ao que tem síndrome de Down, porque, sei lá, pode ser contagioso; aquela criança faz sozinho o trabalho que deveria ser feito em equipe, porque não é tão inteligente quando A e B; Aquele não entra aqui ou ali devido a estar mal-vestido ou a ser pobre; ou, mais absurdamente, essas pessoas devem morrer por se declararem ateus, agnósticos ou de uma religião qualquer que desagrade ao outro. Até que, um dia, vamos acordar para o mundo nefasto e inabitável que estamos criando e nos perguntar qual foi o erro disso tudo. E a resposta será: a nossa INSENSATEZ.
E, quando chegar a esse ponto, talvez já não seja mais possível voltar atrás e só Deus dará jeito. 



Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Infelizmente não existe mais insesnsatez,as pessoas não respeitam e nem se respeitam, é tdo movido de preceitos, crianças crescem com pensamentos hipocritas,esses dias eu dentro do onibus circular, sentei no banco aquele para acompanhante para pessoas deficiencia fisica, e ai no caso no banco dos obesos tinha dois senhores, falando de um menino que era mtu GORDo e que tinha dó dele,eu fiquei com mais dó deles pela mente pois ninguem nessa face da Terra é digna de dó, sabe quando vemos o preconceito,quando compramos bonecas barbie para suas filhas compram sempre as mais claras para que isso,tdo ta tão banalizado,ta marginalizado na verdade pois uma pessoa que mata pelo ridiculo preconceito um morador de rua , onde é que fica o direito de ser cidadão???,que mundo é esse que vivemos,vamos fazer diferente ter consideração pelo o ser humano,não sou fofinha sou obesa , tenho orgulho da pessoa que sou de acordar 5:30 da manhã para trabalhar,de ser feliz de rir de reclamar de falar,de tdo somos ser humanos com tda as nossa diferença pois para mim não existe a onde trabalho no call center chamado Vivo Campinas que tenho orgulho,pois amo a vida e o ser humano
    Um grande bjuuu

    ResponderExcluir

Bem vindo(a), obrigada pela visita !!!
Fique á vontade e não esqueça de seguir :)
Comentários são sempre bem vindos *-*

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©