O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

6 de mai de 2011

Entrevista de Peso com Cássia Cristina! Locutora da BH FM!

Boa tarde pessoal! É com imensa satisfação que eu, Renata Cotta, apresento pra vocês a entrevista que fiz com a Cássia Cristina! Ela é locutora da Rádio BH FM, daqui de Belo Horizonte, Minas Gerais e essa entrevista é prova de que sempre que acreditamos, conseguimos alcançar nossos objetivos! Cássia não me conhecia! Fui atrás dela, expliquei o propósito do Blog e ela topou dar na hora! Provou ser gente como a gente! Muito bacana ela!! Mas chega de enrolação! Vamos ver o que essa moça linda tem a nos dizer!


Nome: Cássia Cristina

Idade: 31 Anos

Onde mora: Belo Horizonte

Profissão: Radialista e estudante de Direito

- Como você usa a internet. Profissionalmente é importante?

Utilizo como instrumento de trabalho, me atualizando e mantendo contato com os ouvintes. Hoje a internet é de fundamental importância no meu trabalho, inclusive com a programação da rádio sendo transmitida online.

A internet também é de fundamental importância nos meus estudos, como uma das minhas fontes de pesquisa, interação e meio de receber informações atualizadas sobre o meio jurídico.

- Quais as Redes Sociais costuma usar?

Twitter, Facebook, Orkut, Linkedin.

- Você se vê sem esse “mundo virtual”?

Consigo viver numa boa sem internet e sem o mundo virtual, mas não dá pra negar que isso nos deixa desatualizados. Na velocidade, com que tudo acontece e com a vida cada vez mais corrida, manter contato com os amigos todos os dias é só mesmo pela internet. Sem contar nas relações de amizade que construímos virtualmente. Mas uma coisa é importante lembrar: Nada substitui o abraço, o aperto de mão e manter contato real com as pessoas é sempre maravilhoso.

- Nosso blog se chama ‘O PESO DO PRECONCEITO’, quando você escuta esse nome, do que se lembra?

Lembro-me que ainda tem gente que não respeita as diferenças. Tanto se fala hoje em respeitar as diferenças raciais, as diferentes opções sexuais, e quem está acima do peso ainda sofre preconceito. Não é apenas aquele olhar discriminatório das pessoas, mas falo do desrespeito que sentimos na pele quando você vai passar em uma catraca de ônibus ou prender os cintos em uma poltrona do avião. E isso tem só aumentado, porque as empresas estão adaptando o mundo às pessoas magras, com espaços cada vez menores, cadeiras cada vez mais frágeis e roupas cada vez mais apertadas. É importante que as pessoas entendam que dá pra ser saudável e feliz estando acima do peso.

- Você acha que a internet é uma ferramenta importante para o combate do preconceito em todas as suas formas?

Sim e não. Depende de como ela é usada. Pode ser uma poderosa ferramenta para mostrar o outro lado da história, mas também pode servir para disseminar ainda mais o preconceito. Cabe a cada um defender sua causa e participar ativamente desenvolvendo conteúdo interessante para alimentar a internet de boas informações.

- Quanto ao mundo GG na internet, qual sua opinião? Você tem participação ativa nele (sempre dando a sua opinião, visitando Blogs...)

Acho que ainda falta muita coisa para ser feita, um exemplo disso é que até hoje, boa parte do conteúdo que existe na internet sobre “gordinhas” é de conteúdo sexual e erotizado. Fico feliz quando vejo sites e blogs como o blog O Peso do Preconceito, que trazem informações interessantes e ajudam a elevar a auto-estima da mulherada de beleza sem tamanho, como a gente.

- Você tem um Blog?

Gente, não tenho blog. Vergonha isso, né? Participo sempre que possível dando a minha opinião, mas não tenho o meu próprio blog.

- Você encontra dificuldades por ser gorda? (de encontrar roupas até sofrer preconceito por parte da sociedade)

Já encontrei muita dificuldade e ainda encontro um pouco. Antes eu me deixava abater, chorava. Mas hoje isso já está mais bem resolvido pra mim. Sou gor

dinha desde que me conheço por gente, então já deu pra aprender a me defender!

Preconceito é claro que existe, até mesmo dentro da minha família. Mas tem também os amigos e familiares que me aceitam como sou. Sou noiva, tenho ao meu lado um homem que me ama e me respeita muito. Ser feliz não pode depender do tipo físico, afinal, tem muitos magrinhos e magrinhas deprimidos, mal-humorados e mal-amados. Quanto a encontrar roupas já foi bem mais difícil, hoje muitas lojas têm percebido essa demanda, embora o preço seja mais salgado. Tem umas 3 lojas que gosto e uma amiga que sempre se lembra de mim na hora de fazer o estoque das lojas dela, e traz coisas lindas que gosto muito!

- O que você sente ao perceber uma pessoa rindo ou comen

tando sobre você e seu peso? O que tem vontade de dizer?

Eu fico muito brava, mas discutir com a pessoa só vai piorar as coisas. Eu não deixo a energia negativa dessas pessoas me contagiar. Geralmente faço piadinhas comigo mesma, com o fato de eu ser gordinha, aí as pessoas perdem a graça. Não sou muito de falar nada, mas se tem alguém me olhando atravessado eu dou uma encarada, e internamente fico arrumando defeitinhos ou apelidos engraçados pra pessoa, aí acho graça e deixo passar.

Qual o pior exemplo de preconceito já sentiu? Como se defendeu?

Ah foram vários, principalmente relacionadas ao meu trabalho. A melhor maneira de me defender é mostrar que sou capaz, provando que posso, por exemplo, subir em um palco, apresentar um evento sem ter que mostrar peito e bunda pra ninguém. Teve um último caso, em que tive reação alérgica a um antiinflamatório que eu estava tomando, e fui ao hospital. Uma médica plantonista me atendeu e nem olhou direito pra minha cara nem para o monte de bolinhas vermelhas que estavam por todo o meu corpo e falou que eu precisava emagrecer. Teve a cara de pau de dizer que eu tinha um rosto bonito, conversava direitinho (detalhe, sou locutora, Kkkk), e que precisava emagrecer pra ficar bonita.

- E sobre o outro lado: a ditadura da magreza, da beleza e suas conseqüências: as dietas loucas, as doenças, o que você acha?

As pessoas que se submetem a tudo isso são na verdade inseguras e sem auto-estima. Mas vemos todos os dias artistas ricas e famosas contando que passam fome, que ficam dias sem comer ou tomando chá de “não-sei-o-quê” para entrar em forma, aí vai um monte de gente fazer o mesmo. Já fiz muita dieta maluca na adolescência e ganhei uma anemia de presente na época. Hoje entendo que prefiro ser uma gordinha saudável a ficar doente para perder peso. Gordinha saudável, sim. Geeeente, nem todo gordo é doente ou está quase morrendo. Faço exames periódicos e os médicos sempre constatam que está tudo em ordem comigo.

- Qual seu padrão de beleza? Tem um estilo fixo?

Não tenho um padrão definido de beleza. Acredito muito na célebre frase “A beleza está nos olhos de quem vê”. Se uma pessoa tem a visão distorcida, jamais achará beleza nos outros. O que me encanta nas pessoas é o brilho nos olhos e o sorriso no rosto, quer beleza maior que essa? Estilo? Tenho todos. Depende de como acordo e de onde vou.

- Mande uma mensagem bacana para os leitores do blog?

Gente... Só quero dizer que devemos buscar sempre a nossa felicidade. Cada um é feliz à sua maneira e não adianta mudar o seu jeito de ser por causa dos outros, afinal, nunca agradaremos todo mundo. Se você quer agradar alguém, agrade a pessoa que passa mais tempo com você, ou seja, você mesmo.

Bom, gente! É isso! Espero que tenham gostado da Entrevista de Peso dessa semana! Muito obrigada por tudo Cássia! Me desculpe pela amolação! Mas jornalista você sabe como é, né?! Tenho certeza de que todos os leitores do O Peso do Preconceito vão virar seus fãs, assim como eu já sou!! Beijão e até a próxima!!

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Fala sério, gente! A Cássia é um exemplo a ser seguido! De profissional, de pessoa!! Muito fofa ela!! Espero que gostem da entrevista dela como gostei de entrevistá-la!! Beijos a todos!!

    ResponderExcluir
  2. Além de tudo ela é linda.
    Parabéns pela entrevista.
    Um beijo e bom final de semana

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista. Realmente ela é um exemplo.

    Parabéns, Rê!!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Que delicia conhecer a Cassia!!!
    Linda mesmo por fora e por dentro deu pra ver a luz e o amor q ela emana pelas palavras...
    Bem vinda ao Peso do Preconceito !!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista e o blog. Já tô seguindo.
    Bjin
    http://blogdavivi-vivaavida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Uau@!!!
    Hoje estava passeando em varios blogs pq estava me sentindo pessíma comigo, com meu peso, com tudo á minha volta.
    E quando me deparei com o seu blog, e já de cara com essa entrevista da Càssia, que por sinal me deu um banho de lição.
    E claro estou revigorada!!!
    Quero lhe dar o parabéns e dizer que já estou te seguindo.
    Bjcoas

    ResponderExcluir
  7. Eu estou apaixonado por voce tenho23 anos mas sei fazer coisas que voce nao sabi.

    ResponderExcluir

Bem vindo(a), obrigada pela visita !!!
Fique á vontade e não esqueça de seguir :)
Comentários são sempre bem vindos *-*

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©