O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

17 de jan de 2014

Normose - a doença do século - Deus me livre de ser normal !


Esse texto com toda certeza não precisa de comentário algum,apenas uma boa interpretação

"Todo mundo quer se encaixar num padrão. Só que o padrão propagado não é exatamente fácil de alcançar. 
O sujeito 'normal' é magro, alegre, belo, sociável, e bem-sucedido. Bebe socialmente, está de bem com a vida, não pode parecer de forma alguma que está passando por algum problema.
Quem não se 'normaliza', quem não se encaixa nesses padrões, acaba 
adoecendo. 
A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico e outras manifestações de não enquadramento.
A pergunta a ser feita é: quem espera o quê de nós? 
Quem são esses ditadores de comportamento a quem estamos outorgando tanto poder sobre nossas vidas? Eles não existem!

Nenhum João, Zé ou Ana bate à sua porta exigindo que você seja assim ou assado. Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha 'presença' através de modelos de comportamento amplamente divulgados. 

Só que não existe lei que obrigue você a ser do mesmo jeito que todos, seja lá quem for todos. Melhor se preocupar em ser você mesmo.
A normose não é brincadeira. 
Ela estimula a inveja, a auto-depreciação e a ânsia de querer o que não se precisa.
Você precisa de quantos pares de sapato? Comparecer em quantas festas por mês? Pesar quantos quilos até o verão chegar?
Não é necessário fazer curso de nada para aprender a se desapegar de exigências fictícias. 
Um pouco de auto-estima basta. 

Pense nas pessoas que você mais admira: não são as que seguem todas as regras bovinamente, e sim, aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida a seu modo. Criaram o seu 'normal' e jogaram fora a fórmula, não patentearam, não passaram adiante. 

O normal de cada um tem que ser original.
Não adianta querer tomar para si as ilusões e desejos dos outros.
É fraude. E uma vida fraudulenta faz sofrer demais.
Eu simpatizo cada vez mais com aqueles que lutam para remover obstáculos mentais e emocionais, e a viver de forma mais íntegra, simples e sincera. 

Para mim são os verdadeiros normais, porque não conseguem colocar máscaras ou simular situações. 
Se parecem sofrer, é porque estão sofrendo. 
E se estão sorrindo, é porque a alma lhes é iluminada.
Por isso divulgo o alerta: a normose está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderiam, se quisessem, ser bem mais autênticos e felizes." 

Prof. Hermógenes em "Normose"

Não poderia deixar de agradecer a uma amiga, Champa Madeva , que sempre descobre e divide textos maravilhosos como esse que sempre acabam virando post nesse nosso querido blog.Beijo na alma querida ♥

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. E justamente a beleza do ser humano não é ser "diferente"???
    Um negro, outro loiro, outro amarelo, outro gordo, outro magro, de lingua presa, de sotaque sutil, de temperamento forte... É isso que nos encanta na outra pessoa que queremos ter amizade ou algum tipo de relacionamento. As vezes nem é afinidade, mas querer crescer conhecendo outro tipo de pessoa...
    Que graça seria se fossemos todos iguais???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Sueli, essa diferença que nos faz unicos, mas muita gente não sabe conviver com elas, uma pena!

      Excluir
  2. As pessoas tem uma coisa estranha de querer ser algo pra alguém, tenho um pavor louco disso, acho que por isso a maioria das pessoas gostam de mim, pq eu sou a porra louca do mundo, eu quero que se danem as leis, que se lasquem as regras, e que se estoure o padrão, não tenho vontade de prestar contas da minha vida pra sociedade, para os parentes ou quem quer que seja, eu me respeito demais pra levar em consideração a vontade dos outros sobre a minha vontade. normal é uma merda eu sou porra louca e pronto, pq desse jeito eu consigo ser feliz.

    ResponderExcluir

Bem vindo(a), obrigada pela visita !!!
Fique á vontade e não esqueça de seguir :)
Comentários são sempre bem vindos *-*

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©