O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

29 de jan de 2011

Preconceito contra obesos pode ferir mais do que o orgulho



Pessoas acima do peso são vítimas de inúmeros preconceitos – podendo até ser discriminados no local de trabalho e considerados menos capazes para cumprir tarefas do que outros. E, quantas vezes aquele seu amigo politicamente correto, que não suporta racismo, não hesitou em fazer comentários sobre o gordinho que passou por perto?
Médicos também acham que perder peso é uma responsabilidade pessoal do paciente, mesmo com pesquisas que indicam que a maior parte das pessoas com sobrepeso não consegue perder uma quantidade significativa de massa a longo prazo, mesmo fazendo dietas.
O que acontece é um fenômeno estranho – por se sentirem estigmatizadas, pessoas obesas estão evitando ir ao médico para não se sentirem mal. Isso é extremamente prejudicial já que quem está acima do peso deve se preocupar ainda mais com sua saúde e fazer check-ups regularmente.
E segundo um professor da Universidade de Columbia, chamado Peter Muenning, o preconceito pode fazer mais mal do que afastar os gordinhos do médico: ele realmente pode deixá-los doentes. O preconceito é altamente estressante e estresse aumenta a pressão sanguínea – em obesos esse problema é ainda mais grave, já que eles estão mais propensos a terem hipertensão.
Diabetes é outra doença que também pode ser causada pelo estresse crônico. Em pesquisas, Muenning descobriu que mulheres que se sentem mais cheinhas sofrem de mais doenças físicas e psicológicas do que mulheres satisfeitas com seu peso (não importando quanto realmente elas pesavam).
Outra pesquisa mostrou que quanto maior o peso do paciente, menos respeito o médico mostra por ele, fazendo com que a pessoa passe menos tempo em companhia do médico – o que, além de comprometer a relação entre os dois, compromete a quantidade de informação que o paciente recebe sobre seu estado.

Eu particularmente ODEIO ir ao médico seja qual especialidade tenha...porque estudaram durante muitos anos..tem seus aneis e diplomas de formatura porém RESPEITO NÃO SE COMPRA e muito deles não tem por pacientes como eu gorda e que me sinto mal cada vez que me olham com nojo quando entro na sala de consulta!

27 de jan de 2011

Entrevista de Peso com Léo de Castro, Humorista Plus Size!


Nome Leonardo de Castro Santos (Léo de Castro)
Idade 25
Onde mora Contagem - MG
Profissão Humorista, Comediante e vendedor de auto peças nas horas vagas hehe
Internet usa como. Profissionalmente é importante?
Uso internet como diversão, pra buscar informações, estar sempre por dentro do que acontece no mundo. Mas uso também no trabalho. Como humorista, faço pesquisas para criação de novos textos e como vendedor faço vendas pela internet.
Quais as Redes Sociais costuma usar?
Tenho conta em quase todas, mas a que mais uso atualmente é twitter, também estou me adaptando ao facebook.
Você se vê sem esse “mundo virtual”?
Não. Virou um vicio, ta complicado, estou tentando me reerguer, já busquei ajuda, entrei para o T.A, Tuiteiros Anônimos, mas eu acabei tendo que tuitar isso, foi mais forte que eu. Rsrs. Brincadeiras a parte, não me vejo, a cada dia temos mais necessidade de informação, e o mundo virtual que proporciona isso, a sede de saber o que ta acontecendo no mundo, nos deixa presos a esse mundo “novo”.
Nosso blog é o ‘PESO DO PRECONCEITO’, esse nome remete a que pra você?!!
Remete ao peso que sociedade impõe aos padrões de beleza. E que pessoas que são facilmente manipuláveis, aceitam esse padrão, e discriminam quem não se enquadra. Eu não me enquadro mas me arredondo!
Você acha que a internet é uma ferramenta importante para o combate do preconceito?
É uma faca de 2 gumes. Ao mesmo tempo que pela internet você pode mostrar quem você é, sem que as pessoas reparem o que você veste, sua cor de pele ou seu peso, mostrando apenas as suas ideias. Você ainda corre o risco de sofrer de cyberbullying, por isso ainda acho que é preciso tomar certos cuidados na internet, o principal é não se importar com o que os outros falam.
Quanto ao mundo GG na internet, qual sua opinião?
Acho que ainda temos poucos sites, direcionados ao mundo GG,(pelo menos eu conheço poucos), mas acredito que tem um grande espaço (mesmo porque o espaço precisa ser muitoooooo grandeeeee né?) para sites e blog's, até por que os gordinhos são maioria entre os usuários. 
Você encontra dificuldade por ser gordo (a) /gostar de gordos (as)?
Enfrento algumas, principalmente dificuldades físicas. Durante alguns anos praticava esportes, tinha um bom preparo, como parei de pratica-los, eu ainda tenho vontade de fazer as coisas que fazia, mas o corpo não aceita mais. Isso é uma grande dificuldade. Eu não gosto de gordos. Brincadeira, rs... Eu ate gosto... mas frito, assado não! 
O que você sente ao perceber uma pessoa rindo ou comentando sobre vc e seu peso ?! O que tem vontade de dizer? (essa vai ser mole!!!)
Pois é... Por incrível que pareça isso acontece comigo sempre, mas eu adoro. Na maioria das vezes acontece com o meu consentimento, eu dou liberdade para as pessoas brincarem. Não lembro de alguém fazer comentários ao meu respeito com a intenção de ofender. Tá, na escola acontecia, mas é coisa de criança. Mas com certeza eu não ficaria feliz ao ser ofendido, e faria uma piada sobre o acontecido.
Qual o pior exemplo de preconceito já sentiu?!!Como se defendeu?
Eu sofri durante grande parte da minha vida, por causa de bullying. Mas ai eu acostumei e passei a zuar sem remorso nenhum.
Acho que o preconceito social é o pior, as pessoas te olharem e acharem que são superiores a você, por que tem mais dinheiro. Eu me defendo sendo indiferente, e sendo quem eu sou, sem precisar provar nada pra ninguém.
E sobre o outro lado.. a ditadura da magreza, beleza..as dietas loucas…doenças, o que você acha??
Acho que é uma grande bobagem imposta pela sociedade. Nós, pessoas “Soft's” não devemos dar importância com o que os outros pensam. Claro que temos que nos preocupar, mas com a nossa saúde. Cuidar da saúde é muito mais importante que querer ficar “magrinho pro verão”.
Qual seu padrão de beleza… tem estilo fixo?
Humildade, respeito, dignidade, isso é beleza de verdade. (parece jargão de eleição, né?)  Ah, uma conta gorda no banco também ajuda! (só pra contradizer tudo que disse até agora).
Na verdade, gosto de conhecer a pessoa e perceber como ela vai ficando bonita a medida que vou vendo as suas qualidades e defeitos. Não tenho um padrão físico fixo, mas sim uma certa exigência sobre  as qualidades. 
Uma mensagem pros leitores do blog?
“Na Idade Média a gordinha predominava como padrão, até porque indicava que ela era “cheinha”, porque tinha o que comer, hoje em dia busca-se um padrão de beleza esquelético, algo irreal, que faz com que a indústria da beleza ganhe muito dinheiro.”
Portanto se você é gordinho (a), não fique triste. Você não é feio (a), você apenas nasceu na época errada!
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Espero que vocês tenham "rachado os bico" que nem nós, da equipe do O Peso do Preconceito"! Quem é de Belo Horizonte e região metropolitana pode conferir O Léo de Castro junto de sua trupe no grupo Uai Sô Comédia. Confira as datas das apresentações e os locais no site: http://www.uaisocomedia.com/. Lá vocês também vão encontrar vários vídeos de apresentações dos humoristas!

26 de jan de 2011

'DORCAS'



DORCAS Plus Size nasceu paralelamente entre o coração de uma pedagoga que ama moda e Deus, que através de uma palavra ministrada na igreja RENASCER em Cristo de Nova Iguaçu/ RJ pelo bispo Ezequiel, inspirou a criação dessa loja, com esse nome.
Dorcas foi segundo a bíblia, uma mulher que fazia túnicas / roupas para as mulheres da época e que faleceu deixando todos que as admiravam "órfãos". Porém, usado por Deus, o apóstolo Pedro orou e Dorcas ressuscitou!
Nosso objetivo é divulgar a moda Plus Size oferecendo as nossas clientes roupas modernas e que se enquadrem perfeitamente ao seu tamanho, e assim, ajudar a ressuscitar a auto estima que muitas vezes está perdida.
Nossas roupas são para mulheres ousadas, autênticas, maduras e divinas. SEMPRE na sua medida e na medida do seu bolso.
Venha vestir DORCAS e deixe esse "D" modar sua vida!

Essa é a loja de Flaviana Muniz do Blog Gordivinas e que passa a ser parceira do nosso blog trazendo um presente que em breve será sorteado aqui!

De uma olhada na loja ela esta com uma super promoção !!





25 de jan de 2011

Ficar acima do peso pode ser melhor para a saúde


Saiu na VEJA ... 



Dieta severa: reduzir a alimentação de maneira drástica pode ser mais prejudicial ao organismo do que manter os quilinhos extras 

Pesquisa aponta que pessoas com quilinhos extras conseguem driblar mais doenças e acabam até mesmo vivendo mais


Perder peso de maneira drástica pode ser prejudicial à saúde. Pelo menos é o que diz uma pesquisa publicada no periódico Nutrition Journal. Segundo o estudo, estar ligeiramente acima do peso, mas ingerindo uma dieta balanceada, é mais saudável ao organismo do que viver em constantes regimes restritivos. Pessoas obesas quando adultas tendem ainda a viver mais que idosos magros e a lidarem melhor com algumas doenças, como diabetes tipo 2, doenças cardíacas e falência renal.
De acordo com o estudo, pacientes obesos acabam colocando sua saúde em risco quando enfrentam tentativas obsessivas de emagrecer – atitude estimulada pelos órgãos federais de saúde pública. A recomendação do especialistas, no entanto, preza pelo equilíbrio. Para eles, basta que se opte por viver uma vida balanceada entre alimentação e exercício físico, mesmo que, no final das contas, ainda se acabe engordando uns quilinhos.
Horário biológico – Para os pesquisadores, os resultados do estudo exibem um dado trivial: deve-se respeitar os sinais de fome e saciedade do organismo. Isso significa que se deve comer o suficiente para matar a fome, e não reduzir a ingestão de alimento com o intuito de emagrecer.
“Quando os dados são revistos sem o senso comum de que a gordura é prejudicial, fica evidente que os riscos que a gordura representa para futuras doenças ou para a diminuição da longevidade têm sido exagerados”, diz Linda Bacon, uma das líderes do estudo.

“Os riscos que a gordura representa para futuras doenças ou para a diminuição da longevidade têm sido exagerados”, diz Linda Bacon

[AGORA VAMOS LÁ NÃO ESTAMOS DE FORMA ALGUMA FAZENDO APOLOGIA A OBESIDADE,NÃO ESTAMOS DIZENDO NESSE POST : COMA , ENGORDE ,FIQUE DOENTE!!!!!! NÃO NÃO NÃO E A REVISTA TBM NÃO...NÃO É MESMO ?!!!]

24 de jan de 2011

Obesidade Bacteriana ... Como assim ?!



Pesquisa indica que bactérias alteradas causam obesidade, mas tratamento com antibióticos ainda não é viável
Por muito tempo, hambúrgueres, batatas fritas, milkshakes, salgadinhos, sorvetes, pizzas e chocolates foram culpados pelo grande aumento da obesidade no mundo. Agora o fast-food tem com quem dividir a culpa: as bactérias intestinais. Um recente estudo norte-americano traz evidências de que alterações nas bactérias que vivem nos intestinos levam a um aumento acentuado do apetite e, consequentemente, à obesidade. Os estudos ainda são iniciais e o tratamento contra obesidade continua o mesmo: dieta alimentar e exercício físico.
“Se houver realmente alguns casos de obesidade relacionados com alterações bacterianas intestinais, tratamentos com antibacterianos ou com reguladores da microbiota intestinal poderiam, em teoria, ser utilizados. Mas no momento atual, não há evidências científicas suficientes para sustentar tal teoria”, afirma Josivan Lima, professor de Endocrinologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e secretário da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
A Pesquisa:
A conexão entre as bactérias intestinais e a obesidade não é nova, mas ganhou mais peso com uma nova pesquisa publicada na edição de março da revista norte-americana Science, uma das mais prestigiadas revistas de ciência do mundo.
E tudo começou por acaso, quando estudando outra doença, os pesquisadores perceberam que camundongos com determinada deficiência no sistema imunológico eram mais “gordinhos” do que seus companheiros saudáveis. Quando os animais tiveram sua dieta controlada, eles perderam peso, porém menos que os outros camundongos. E quando sua dieta passou a ser rica em gordura, eles engordaram mais do que os outros, desenvolvendo também mais doenças relacionadas à obesidade. Isso fez os cientistas desconfiarem de que havia algo a mais que merecia ser investigado.
O imunologista Andrew Gewirtz e o microbiologista Matam Vijay-Kumar, da Universidade Emory, em Atlanta (EUA), estudaram uma linhagem de camundongos com deficiência no gene TLR-5, responsável pelo reconhecimento de várias bactérias. Eles descobriram que esses camundongos eram em média 20% mais pesados que os outros. Eles também comiam muito mais, tinham pressão alta, colesterol alto e resistência à insulina (isso significa que o corpo não usa a insulina de modo eficiente para quebrar os alimentos e transformá-los em energia, podendo resultar em diabetes e obesidade).
Deficiência Genética:
“Em suma, esses camundongos apresentam a chamada ‘síndrome metabólica’, um conjunto de distúrbios que, em humanos, aumenta o risco de desenvolver obesidade, doenças cardíacas e diabetes”, explica a endocrinologista Mônica Cabral.

A obesidade atinge cerca de 3,2 milhões de pessoas em todo o mundo.
Após essas constatações, as bactérias intestinais desses camundongos foram transplantadas para camundongos sem a deficiência, que também passaram a apresentar o mesmo quadro. Os transplantes mostram que as bactérias não são parte do efeito, mas sim causa do aumento do apetite e da obesidade.
Alguns dos camundongos com deficiência no gene TLR-5 foram tratados pela equipe com antibióticos, para controlar a quantidade de bactérias intestinais. O tratamento reduziu grande parte dos distúrbios metabólicos dos camundongos.
De acordo com a endocrinologista Rosana Radominski, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), a pesquisa aponta que realmente pode haver uma conexão entre a flora intestinal e a obesidade., mas enfatiza: “Estes são achados iniciais, e há muito trabalho pela frente para comprovar que este mecanismo é importante nos humanos. E estes estudos não permitem que se comece a tratar obesidade com antibióticos, não é este o caminho”.

Bactérias intestinais mutadas seriam a chave para a obesidade.
As bactérias intestinais, também chamadas de flora intestinal, habitam naturalmente o intestino, ajudando na digestão de alimentos e protegendo o organismo contra microrganismos que podem causar doenças. Os cientistas acreditam que essas bactérias são adquiridas no nascimento, mas podem sofrer alterações durante a vida da pessoa, ocasionadas pela alimentação ou pelo uso de medicamentos.
Os cientistas ainda não sabem como as bactérias produzem essas mudanças metabólicas. Os camundongos usados na pesquisa não são um modelo exato de como funciona o corpo humano, mas podem apontar ligações entre sistema imunológico, alteração das bactérias e obesidade, assim como nas pessoas.
Para confirmar sua ideia de que o mesmo acontece nos seres humanos, Gewirtz e sua equipe vai começar a investigar pessoas com a síndrome metabólica.
Novos Caminhos:
Cada vez mais pesquisas estudam a conexão entre as bactérias intestinais e a obesidade. Um estudo publicado no ano passado, levado a cabo pela Universidade de Cornell, em Nova Iorque (EUA), apontou que camundongos franzinos se tornavam obesos quando recebiam bactérias intestinais de camundongos obesos.
Em 2006, pesquisadores da Universidade de Washington, liderados pelo microbiologista Jeffrey Gordon, já haviam documentado uma alteração nas bactérias intestinais de camundongos que ficaram obesos. “Alguns resultados de estudos experimentais utilizando camundongos submetidos a diferentes dietas ou substâncias probióticas, ou até mesmo a antibióticos que agem na colonização bacteriana do intestino, sugerem haver uma associação entre regulação do apetite e o intestino”, aponta Mônica Cabral.
“A ligação é fácil de ser demonstrada em animais de laboratório, mas é mais difícil de ser reproduzida em seres humanos, pois é mais fácil controlar de maneira rigorosa a dieta de um do que outro. Dessa forma ainda não se sabe o verdadeiro papel dessas bactérias intestinais no desenvolvimento dessas doenças em seres humanos”, ressalta.

22 de jan de 2011

A obesidade é a segunda maior causa de mortes evitáveis na América Latina


COMO ALFACE NÃO PASTEL!

A ilusão das dietas e medicamentos: 

A respeito das dietas usadas livremente para emagrecer, os médicos fazem advertências. “Nenhuma dieta no papel vai funcionar, elas estão por toda parte, em qualquer banca de revista”, diz o nutrólogo José Ernesto dos
Santos, do departamento de Clínica Médica da Usp – Ribeirão. “Todo mundo sabe que
comer pastel engorda mais que comer alface. É o comportamento, os hábitos que precisam
ser mudados de uma vez por todas”.

O médico ainda alerta para a questão do uso livre de medicamentos emagrecedores supressores de apetite. “Até pouco tempo no Brasil a sibutramina praticamente veinha na cesta básica,
podia ser comprada em qualquer lugar. 
Mas na Europa já foi proibida muito antes por ser comprovado
que seus efeitos colaterais são muito maiores que seus benefícios. O risco de infarto em 
usuários deste medicamento é de 16%”, 

afirmou durante a 12ªJornada de Ginecologia e 

Obstetrícia da Maternidade Sinhá  Junqueira.




*****************


Abaixo-assinado Contra Crimes Virtuais, Pelo Direito de Ser Gordo 







Quer fazer parte do 1º Vídeo do O Peso do Preconceito ? Envie sua foto para opesodopreconceito@gmail.com




Beijãozão


RESPEITO




“Um sujeito estava a pôr flores no túmulo de um parente quando vê um

 chinês a colocar um prato de arroz na lápide ao lado.

Ele vira-se para o chinês e pergunta:

- Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o

 arroz?

E o chinês responde:

- Sim e na mesma hora que o seu virá cheirar as flores!"

“Respeitar as opções do outro em qualquer

 aspecto é uma das maiores

virtudes que um ser humano pode ter.

 As pessoas são diferentes, agem

diferente e pensam diferente. 

Nunca julgue. 

Apenas compreenda e respeite”.



Respeito é algo que se deve instigar e promover. Contudo só funciona quando é mutuo, o que nem sempre acontece no dia-a-dia, e está errado, pois a tendência do ser humano para julgar antes de compreender é sempre maior.Infelizmente, a ignorancia é a mãe de muito preconceito, logo o respeito acaba por nem existir, quanto mais ser usado.


E ainda uma pequena citação:

"Se me julgas, te julgas por julgares"
Agostinho da Silva

20 de jan de 2011

XÔ FALSIDADE


NÃO ESTAMOS DIZENDO COMA E ENGORDE COMO EU, ESTAMOS DIZENDO APENAS VOCÊ NÃO PRECISA SER MAGRO PRA SER FELIZ, NÃO PRECISA ESTAR NA MODA, NÃO PRECISA SEGUIR PADRÕES PRA SER REAL...GORDO TAMBEM É GENTE TEM DEVERES
E DIREITOS COMO QUALQUER OUTRO SER HUMANO!


Não deixem de ler meu desabafo aqui

19 de jan de 2011

Criança gordinha é a que mais sofre preconceito na escola



As frequentes brincadeirinhas entre colegas de escola que, em muitos casos, se transformam em perseguição e maus-tratos, têm um alvo preferido: as crianças acima do peso. Obesos ...


As frequentes brincadeirinhas entre colegas de escola que, em muitos casos, se transformam em perseguição e maus-tratos, têm um alvo preferido: as crianças acima do peso. Obesos com idade entre 8 e 11 anos têm 63% de chances a mais de serem vítimas de bullying, seja qual for sua raça, condição econômica e desempenho escolar. 

A conclusão é de um estudo da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, realizado com 821 crianças. E não é de hoje que os quilinhos a mais são motivos de deboche entre os pequenos. A pesquisa aponta, inclusive, que 45% das mães entrevistadas tinham consciência do problema que as crianças enfrentavam.

“Ser chamado por apelidos nada amigáveis como ‘rolha de poço’ e ‘baleia’ não é fácil. Algumas crianças até não se importam com isso, mas a reação depende da autoestima de cada um. Os pais devem estar sempre atentos às mudanças de comportamento e ouvir o que os filhos têm a dizer”, alerta a psicopedagoga clínica e terapeuta familiar Penha Peterli.

Para ela, crianças que praticam bullying apresentam falhas com relação aos princípios éticos e morais repassados pelo círculo social com o qual convivem. “Em grupos, elas se sentem mais fortes e capazes de afetar negativamente outras pessoas, que consideram menos privilegiadas”, explica.

Para a pediatra e coordenadora do Departamento de Obesidade Infantil da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), Lilian Gonçalves Zaboto, é preciso tratar a obesidade antes que ela se torne um problema para a criança. “Os pais devem cuidar, antes de tudo, da saúde dos seus filhos, antes que ela se torne um problema em outros âmbitos. Em muitos casos, as crianças só conseguem superar a agressão com acompanhamento médico”, avisa.

Após comentários, menino perde 25kg em 5 meses 
O que pode parecer brincadeira comum entre crianças acabou gerando uma doença grave no garoto britânico Taylor Kerkham, de 11 anos. Ele luta contra a anorexia e viu seu peso cair de pouco mais de 50 quilos para cerca de 25 quilos em meses. Segundo o menino, tudo começou por causa de “alguns comentários” de colegas, que disseram que ele era “cheinho”. Esses comentários levaram-no a passar cinco meses internado num hospital de Manchester no ano passado, enquanto sua família e os médicos tentavam persuadi-lo a comer. Só com a ajuda de uma nutricionista e o apoio de sua família, Taylor conseguiu recuperar o peso normal para sua idade.

Bullying pode levar à depressão infantil 
As consequências do bullying para uma criança que já sofre com outro problema, como o excesso de peso, podem ser desastrosas no futuro, alertam os especialistas. “Tudo pode começar com o isolamento. Porém, quando a criança passa a pedir para não ir à escola ou a trocar de escola, é preciso redobrar a atenção. Se esse medo não for tratado, ela pode desenvolver problemas de relacionamento no futuro e ter, inclusive, depressão infantil”, diz a psicopedagoga Penha Peterli.

A pressão social sofrida desde cedo para que as crianças estejam dentro dos padrões estéticos acabam agindo contra a autoestima, diz a pediatra Lilian Gonçalves Zaboto. 
“Não são raros os casos de meninos e meninas que chegam ao consultório porque precisam superar problemas maiores que os da própria saúde. É preciso que os pais mudem o estilo de vida dessas crianças. Amar é também saber dizer não a muitas coisas, como aos excessos e aos alimentos não-saudáveis”, defende a pediatra.

10% das crianças estão acima do peso 
A obesidade sempre foi o alvo preferido de crianças na hora de debochar dos colegas na escola. Hoje, porém, o problema é ainda mais frequente, devido ao aumento da população infantil com excesso de peso no país. O IBGE identificou, em 2009, que cerca de 10% de crianças e adolescentes brasileiros tinham problema com sobrepeso, e 7,3% sofriam com a obesidade.

De acordo com a pediatra e coordenadora do Departamento de Obesidade Infantil da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), Lilian Gonçalves Zaboto, existem pesquisas que apontam para uma perspectiva ainda maior: de que cerca de 40% das crianças e adolescentes brasileiros estejam acima do peso ideal. 

O que não muda, porém, é a pressão que sofre esse grupo. “Assim como o número de crianças com sobrepeso, aumentou também a exigência do corpo perfeito”, explica.

Autoestima à prova 
Saiba se seu filho é vítima e como agir

Como prevenir 
Autoestima. É importante trabalhar a autoestima da criança desde pequena. Uma dica é nunca observar os “defeitos” dos filhos de forma negativa, mas mostrar com naturalidade que as diferenças existem e que não devem ser encaradas como problema

Confiança. Estabeleça uma relação de confiança e diálogo com a criança para que ela se sinta sempre à vontade para contar aquilo que lhe fizer mal

Como perceber 
Perda de interesse pela escola
Vontade de trocar de escola
Sentimento de fracasso e de não merecimento
Isolamento
Timidez excessiva
Reações estranhas a situações normais, como chorar ao ter que escolher uma roupa para vestir
Em muitos casos, as agressões são interiorizadas pela criança. Ela acaba achando que é aquilo que os outros dizem que ela é

Como ajudar 
Diálogo. O ideal é que ela se sinta confiante para contar sem ser delatada pelos pais a outras pessoas

Escola. Converse com professores e com a direção da escola. Peça para que a escola identifique e oriente os pais dos alunos envolvidos ou não na agressão

Valores. É importante que os pais, em primeiro lugar, aceitem a criança como 
ela é para ajudá-la a aceitar o próprio corpo


Texto retirado da GAZETA ON LINE

DOE O BEM MAIOR QUEM RECEBE É VC

 DOE ...O BEM MAIOR QUEM RECEBE É VC !!









17 de jan de 2011

ALVO DE PRECONCEITO



Basta se posicionar para que as coisas entrem nos eixos...Nada de ficar encucada e pensando o que fulano vai falar o que ciclano vai achar...Mas é por isso que lutamos contra o preconceito...PELO DIREITO DE SER GORDO E DE SER VISTO COMO PESSOA NORMAL!

Título: Sofri preconceito dentro da empresa em que trabalho
Nome: Triana  
Comentário: Sofri preconceito e xingamentos dentro do local de trabalho por parte de um outro funcionário que gritou bem alto que eu era gorda ridícula e me mandou procurar uma academia para emagrecer. Fiquei arrasada e estou atè hoje. Daqui a pouco irei trabalhar, mas estou com vergonha por tamanho constrangimento que passei na frente de todos... Não sei como agir, me ajude! 
Estado: SP

Título: Sou gorda mas sou feliz
Nome: Sol 
Comentário: Sofro esse tipo de preconceito diariamente no trabalho, tem várias funções que não me permitem exercer por eu ser gorda, então sempre fico em setores que não sou obrigada a parecer muito, ou seja, quanto mais escondida melhor e sempre ouço "você precisa tomar remédio para emagrecer", mas eu sou feliz assim!!! Gorda e feliz e namorando muito até hoje, sempre consegui namorar a pessoa que me interessa. Alguém quer um exemplo melhor que esse, ser gorda não é defeito é só saber conviver com isso e não se desesperar.
Estado: MS

Título: Tenho dó da minha amiga.
Nome: Fe 
Comentário: Eu tenho uma amiga que é bem gordinha, deve pesar uns 90kg. Ela vai fazer 24 anos em março e até hoje nunca beijou na boca, ela morre de vergonha de se aproximar de alguém, não fala dos sentimentos dela pra ninguém. Já entrou em depressão e teve um problema hormonal. De tão forte que foi a depressão, porque ela só pensava em comer, isso acarretou uma série de problemas na saúde dela. Tenho muita vontade de ajudá-la mas não posso, nenhum menino quer ser namorado dela, nem pelo menos pra beijar pra ela sentir como é bom. Isso é um preconceito total e ela é bonita. Todo mundo diz que se ela emagrecer vai arrebentar, mas ela acha que não tem jeito e sofre.
Estado: SP

Título: Sou gorda e feia
Nome: Cláudia 
Comentário: Nossa, engordei demais depois que tive uma filha, não consigo mais emagrecer, estou desesperada, nem sair de casa aguento mais. QUERIA QUE AS PESSOAS TIVESSEM MENOS PRECONCEITO, ACHO QUE SERIA MAIS FÁCIL EMAGRECER!
Estado: GO

Título: Assumir
Nome: gisele gasparini 
Comentário: Eu sempre fui gorda, não gordinha, digo gorda mesmo, manequim 48 a 50. Já tomei vários remédios, emagrecia e depois engordava o dobro, passava mal, delirava. Agora, resolvi me assumir e me valorizar! Não devemos aceitar pessoas nos criticando, isso é crime! Resolvi mudar minha vida, voltei a desenhar moda e pretendo me especializar em roupas para gordinhas! Acredito que temos que mudar nosso interior e não ficar nos culpando por não sermos iguais. Na verdade, todo mundo é diferente e não adianta querer padronizar, cada um tem suas atitudes, comportamentos, corpo e idéias!
Estado: SP

Título: Preconceito na escola.
Nome: Aline Gomes 
Comentário: A filha de uma prima da miha mãe é gordinha e por isso, na escola, sofre muitos preconceitos, o que a deixa triste. Deve ser ruim, nunca recebi este tipo de preconceito, pois sou "magrela".
Estado: DF

Preconceito total e por parte das proprias pessoas atrapalha...

14 de jan de 2011

Conserve o jardim



Um esposo foi visitar um sábio conselheiro e disse-lhe que já não amava sua esposa e que pensava em separar-se. Pois ela tinha engordado e causava nele tamanha vergonha 
O sábio escutou-o, olhou-o nos olhos e disse-lhes apenas uma palavra: 
- Ame-a. E logo se calou. 
- Mas, já não sinto nada por ela! Ela esta muito gorda !
- Ame-a, disse-lhe novamente o sábio. 
E diante do desconcerto do senhor, depois de um breve silêncio, disse-lhe o seguinte: 
"Amar é uma decisão, não um sentimento; amar é dedicação e entrega. 
Amar é um verbo e o fruto dessa ação é o amor. 
O amor é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente, regue e cuide. 
Esteja preparado porque haverão pragas, secas ou "excessos" de chuvas mas nem por isso abandone o seu jardim. 
Ame seu par, ou seja, aceite-o do tamanho que for, valorize-o mesmo que esteja fora dos padrões, respeite-o mesmo que ele pareça diferente, dê afeto e ternura, admire e compreenda-o do jeitinho que ele é. 
Isso é tudo. Ame! 


* A inteligência sem amor, te faz perverso. 
* A justiça sem amor, te faz implacável. 
* A diplomacia sem amor, te faz hipócrita. 
* O êxito sem amor, te faz arrogante. 
* A riqueza sem amor, te faz avaro. 
* A docilidade sem amor te faz servil. 
* A pobreza sem amor, te faz orgulhoso. 
* A beleza sem amor, te faz ridículo. 
* A autoridade sem amor, te faz tirano. 
* O trabalho sem amor, te faz escravo. 
* A simplicidade sem amor, te deprecia. 
* A oração sem amor, te faz introvertido. 
* A lei sem amor, te escraviza. 
* A política sem amor, te deixa egoísta. 
* A fé sem amor te deixa fanático. 
* A cruz sem amor se converte em tortura. 
* A vida sem amor... não tem sentido.


ESSE PRECONCEITO


Encontrei esse texto simples e verdadeiro e trouxe pra dividir espero que todos gostem e se emocionem como eu ...

"O obeso sente que a sociedade, quando não o ignora, o agride. A começar pelo rótulo: quem conviveria bem com a alcunha de “mórbido”? Não há proteção legal ou qualquer mecanismo de defesa aos vexames pelos quais o obeso passa nas ruas diariamente. Você já imaginou o que é ir ao cinema ou viajar de avião e não encontrar uma simples cadeira adequada ao seu tamanho? Ou perceber as risadas das pessoas quando você não consegue passar pela roleta de um ônibus? Enquanto o preconceito racial não é muitas vezes explícito, a maioria das pessoas não se intimida em rir diante de um obeso. É como se ele fosse assim apenas porque é preguiçoso, relapso e comilão. Logo, merece ser motivo de todo tipo de piada.

É claro que a ciência não vê assim a obesidade e encara o problema como uma doença. Os médicos sabem que, por mais que lutem por meio de dietas ou temporadas em spas, nem sempre essas pessoas conseguem emagrecer. Há casos de obesos que comem até menos que pessoas “exemplares” em sua dieta. Mesmo assim, a sociedade simplesmente ignora as evidências e faz os seus julgamentos movida pela ignorância.

É como se o obeso tivesse apenas duas opções: emagrecer ou se matar. Pelo menos é dessa forma que a mídia trata o problema. Em uma reportagem sobre a cirurgia bariátrica (diminuição do estômago), a apresentadora do programa Fantástico, da Rede Globo, levanta o tema com a seguinte frase: “O que fazer quando todas as dietas falharam?” Parte-se do pressuposto de que ninguém pode ser feliz obeso. E quem não consegue ou não quer ter um corpinho dentro do “padrão global” de aparência? Tem que passar o resto da vida atormentado – por si mesmo e pelos outros – por causa da sua forma física?

Essa perseguição faz com que os obesos se sintam culpados. Alguns terminam adotando para si o mesmo preconceito que sofrem de outras pessoas. Resultado: em vez de se unir em busca dos seus direitos, tratam de seus problemas como uma vergonha – como já aconteceu com outras minorias como os gays e os negros, por exemplo.

Mesmo que essa causa não tenha a mesma simpatia da luta de outras minorias, os obesos precisam buscar o respeito que merecem. Muito além da reivindicação de espaço físico adequado para o nosso corpo, é hora de conquistarmos um espaço de verdade na sociedade para que a nossa voz seja levada em consideração em qualquer debate público. Não estou aqui fazendo uma apologia da gordura e dos problemas de saúde que podem estar correlacionados a ela. Mas acho que somente unidos os obesos poderão garantir para si o direito elementar de serem felizes: amarem e serem amados, terem sucesso profissional, irem ao cinema ou simplesmente poderem caminhar tranqüilamente pela rua sem receber olhares de julgamento de outras pessoas."

Camila Matticolli

13 de jan de 2011

PELO DIREITO DE SER GORDO !



Amigos(as), 

Acabei de ler e assinar este abaixo-assinado online: 

«Contra Crimes Virtuais, Pelo Direito de Ser Gordo» 


Pessoalmente, concordo com este abaixo-assinado e acho que você também pode concordar. 

Assine o abaixo-assinado e divulgue para seus contatos.

Obrigado, 
Elayne Cecilia Pinho Nascimento 

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©