O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

27 de abr de 2012

“Quase metade das mulheres já sofreu preconceito no trabalho.”




Apesar de as mulheres terem conquistado espaço no mercado de trabalho, o preconceito não deixou de existir. De acordo com uma pesquisa da revista Marie Claire e da organização Everywoman, ambas do Reino Unido, 46% sofreram sexismo (preconceito contra o sexo feminino) no escritório e 44% disseram que colegas homens já fizeram comentários inapropriados sobre sua aparência.

O levantamento ouviu a opinião de quase 3 mil mulheres entre 18 e 55 anos. Confira outros dados coletados sobre o assunto:

- 78% das entrevistadas afirmaram que ser atraente ajuda a se sair melhor no trabalho e, 60%, que as mulheres com sobrepeso são discriminadas;

- 63% acham que a idade da mulher é mais importante do que a do homem na empresa;

- 53% não pensam que a discriminação positiva (por exemplo, cotas de vagas para mulheres) seja algo bom;

- 71% discordam que devem dizer aos empregadores se planejam ter filhos; - 58% admitiram preferir trabalhar para chefes do sexo feminino;

- 61% acreditam que os homens têm melhores resultados na hora de conseguir aumento de salário e, 58%, para conquistar promoções;

- 66% acham que um mentor e networking são essenciais, apesar de 72% nunca terem contado com um mentor;

- A escritora JK Rowling, autora das histórias do bruxo Harry Potter, ficou em primeiro lugar na lista das mulheres de negócio que servem de inspiração, com 45% dos votos.

23 de abr de 2012

BH vai sediar a primeira edição do Glamour Day





A Renata Cotta do blog Freneticidade esta organizando juntamente com a Leslie Monteiro, maquiadora oficial e com a Fê Ferreira, do Blog Poderosas GG, um evento de moda dedicado ao mercado Plus Size de Minas Gerais!

Trata-se do Glamour Day, que será um dia inteiro dedicado à beleza da mulher Plus Size, ou seja, que está fora dos padrões impostos pela sociedade contemporânea. O evento, que acontecerá no dia 26 de maio, vai contar com a renomada maquiadora Leslie Monteiro, que deixará as participantes ainda mais belas para serem clicadas pela fotógrafa Renata Cotta. A modelo Plus Size Fernanda Ferreira também estará presente e ajudará nas poses e posições que vão valorizar o corpo das participantes.
No dia do evento será possível fazer novas amizades e trocar ideias sobre autoestima, o que é muito importante nos dias atuais. O preconceito está em todo lugar e quem está acima do peso sente na pele a discriminação das pessoas e da mídia, que tenta as emagrecer a qualquer custo. O objetivo do Glamour Day é ajudar as mulheres a se amarem ainda mais! Pois é possível se sentir linda, mesmo estando acima do peso. "A insatisfação com o corpo e típico do ser humano, por isso é preciso que exista amor próprio para superarmos todos os preconceitos. Trouxemos o Glamour Day para que seja um dia onde você se conheça e comesse a se amar, a se admirar e perceba o quão linda e glamourosa você é!", Fernanda Ferreira, Modelo e organizadora do evento.
As participantes contarão com lojas parceiras que vão ceder roupas e acessórios para que elas utilizem na hora dos cliques, mas nada impede que elas levem suas roupas e sapatos favoritos para serem fotografadas com eles. O atendimento vai ser personalizado, com horário marcado, tudo para que as meninas se sintam bastante confortáveis e valorizadas, além de receberem mais atenção da equipe de produção.

Para participar do evento basta mandar um email para glamourdaybh@gmail.com, que te respondemos com a ficha de inscrição! Acesse também o nosso blog oficial! Contamos com a participação das frenéticas!! Beijos a todos!!! Tenham um excelente fim de semana!!

10 de abr de 2012

'Não aguento mais ouvir que estou abaixo do peso'


Filha de Luiza Brunet, modelo fez um protesto em seu Twitter no início da noite desta segunda-feira, 9.


Yasmin Brunet fez um desabafo em seu Twitter no começo da noite desta segunda-feira, 9. A modelo, filho de Luiza Brunet, afirmou "ter saúde" e confessou estar chateada com os boatos de que estaria "abaixo do peso", que surgiram após publicação de fotos dela caminhando pela orla da praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio, no dia 26 de março. "Eu não aguento mais ouvir e ler que estou abaixo do peso, que estou magra demais!!! Tenho saude, como muito bem! Não como carne vermelha, sou alérgica a lactose, não posso comer chocolate... Sou completamente contra anorexia e bulimia. Não é possível que as pessoas achem que eu tenho alguma doença deste tipo. Isso me deixa triste", escreveu.

Ela justificou ainda que não precisa de muito esforço para se manter magra. "Sei que muitos jovens sofrem com esses distúrbios. E sei que a ditadura da moda pode influenciar esses jovens. Mas esse é o meu corpo! Gracas a Deus fui abençoada a não ter que fazer muito esforço para manter o meu corpo magro".

Yasmin aproveitou o desabafo para fazer um alerta sobre os perigos da anorexia e da bulimia. "Por favor, se vocês conhecem alguém com esses distúrbios, ajudem, falem, ajudem como puder, por que isso não é brincadeira. Leva à morte. Magreza não é sinônimo de beleza. Saúde é beleza. Estar feliz é beleza. Estar bem consigo mesma".

Fonte : Ego

9 de abr de 2012

Marca inglesa cria roupas acessíveis para deficientes físicos



A marca inglesa tem criado peças para um grupo marginal no mundo da moda. Mas não se trata das pessoas acima do peso, aquelas que o mercado apelidou de “plus-size” e têm reivindicado seu espaço nas grades de tamanhos. O foco da Xeni são as pessoas com deficiência física.



Diagnosticada com esclerose múltipla em 1990, a arquiteta Ann Oliver descobriu aos poucos a dificuldade que detalhes simples como botões e zíperes impunham ao seu dia a dia sobre uma cadeira de rodas. Em 2009, ela teve a ideia de usar o conhecimento adquirido nos últimos anos a seu favor e de outras tantas mulheres com dificuldades de locomoção e coordenação.
“Comecei levando em conta o corpo sentado e o que se torna importante quando é visto de longe e de perto”, explica Anna em texto no site da Xeni, criada após um curso na conceituada escola de moda Central Saint Martins, em Londres. 



Para ela, é importante destacar os ombros, que são o foco principal das criações da marca. Os zíperes e botões foram substituídos por imãs e elásticos, a modelagem ganhou adaptação ao uso da cadeira de rodas.



A coleção da Xeni inclui vestidos, túnicas, calças, paletós e casacos, que custam entre 165 e 450 libras (cerca de R$ 480 a R$ 1.300) -as peças são confeccionadas de acordo com a demanda. A loja vende exclusivamente pela Internet e entrega em todo o mundo.

Mais uma vez damos de caro com o problema que é o preço das roupas, mas como em tudo...logo uma empresa nacional dá um jeitinho de fazer peças mais acessiveis!

2 de abr de 2012

Como evitar atitudes destrutivas



Adotar atitudes destrutivas ao ir contra os seus próprios desejos e objetivos é uma forma de se autossabotar. Aprenda então a evitar esse comportamento.



Fazer mal a si mesma sem perceber se chama "autossabotagem". Isso pode acontecer com tanta frequência que a atitude destrutiva acaba virando um hábito. A psicóloga Bel Cesar explica que esse comportamento costuma aparecer quando a pessoa fica com medo de sentir novamente a dor de uma experiência negativa.

Existem diversas maneiras de se autossabotar. Uma delas é quando uma pessoa diz desejar muito uma promoção, mas não atende aos pedidos do chefe ou não cumpre os prazos exigidos pela empresa. O mesmo ocorre com quem está de dieta e assalta a geladeira no meio da noite.

Mas por que isso acontece?

As atitudes destrutivas podem ser um jeito de você se punir por um erro. Ou seja, por terem errado ou sofrido uma vez, algumas pessoas começam a sentir que não merecem mais realizar os próprios sonhos e objetivos de vida. "Isso é prejudicial porque, mesmo sem ter consciência, quem se sente assim acha que merece ser punido", explica a psicóloga Bel. Dessa maneira, é possível criar barreiras para que os desejos não se tornem reais.

Como identificar essas ações destruidoras?

Por ser um comportamento repetitivo, é preciso ficar atenta às características mais comuns da autossabotagem. São elas:

· Desconfiar da própria capacidade de realização;

· Cultivar um sentimento de covardia e medo;

· Sentir-se paralisada diante de situações que você sonhava viver;

· Ter dificuldade em cultivar relacionamentos e demonstrar emoções;

· Não acreditar nos elogios que recebe;

· Resistir a refletir sobre os próprios erros e a aprender com eles;

· Ancorar-se em características pessoais como timidez, preguiça e orgulho. Elas são mecanismos de defesa contra a mudança de atitudes.

Como acabar com o problema?

O primeiro passo, segundo a psicóloga Bel Cesar, é tomar a decisão de mudar. "Para isso, é preciso se dedicar a reconhecer os próprios erros e ter a intenção de substituí-los por atitudes positivas", diz a especialista. Confira como fazer isso:

· Preste atenção às frases prontas que vêm à sua mente para desencorajar suas decisões. Pensamentos como "não vou conseguir", "vai dar tudo errado", "vou deixar para depois", "estou com preguiça" e "não tenho coragem" revelam comportamentos destrutivos de que não temos consciência;

· Toda vez que você reconhecer um pensamento de autossabotagem, substitua-o por ideias positivas. Por exemplo: em vez de dizer "não vou conseguir", diga "eu sou capaz", "eu vou conseguir", "vai dar tudo certo", "vou resolver este problema agora e não depois", "sou corajosa", "mereço ser feliz";

· Tenha disposição para assumir as responsabilidades que esses novos comportamentos trarão a você. Por exemplo, quem quer ser rica tem que se sentir à vontade para lidar com o dinheiro, não é mesmo?;

· Tenha paciência. A mudança de comportamento não acontece do dia para a noite. É preciso tempo e persistência para substituir os pensamentos velhos pelos novos até transformá-los em um hábito;

· Permita-se estreitar relacionamentos e amizades. Procure demonstrar suas emoções e sentimentos e falar sobre eles. É um jeito de exercitar as mudanças de comportamento.

Conteúdo do site SOU MAIS EU!

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©