O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

14 de nov de 2011

História de Inspiração e Preconceito ?!

Robyn

Conheci um blog muito fofo o Cosmeticagem.com.br, pois vi um post com o titulo de INSPIRAÇÃO e fui lá fuçar...
Resultado virei seguidora,li tudo, comentei, e ainda na caruda pedi a Rô que é a dona do blog pra reproduzir o post aqui !
Dai algumas pessoas após ler,dirão, e o que tem a ver com o preconceito...E eu respondo no final !!!


"Essa internet faz coisa, né… Sempre tem alguém que coloca um link randomicamente em alguma rede social, que eu abro e me deparo com as melhores coisas que já vi e li.
Esse link devia ser divulgado mundialmente, pra todo o sempre.  É a historinha de Robyn, uma mulher que resolveu comemorar seu aniversário de 38 anos de um modo diferente. Ela resolveu fazer um ato de bondade pra cada ano vivido. Juntou família e amigos e botou a mão na massa."

Rô listou, em português, os 38 atos de bondade porque no blog da Robyn tá em inglês...


-Devolver os carrinhos de supermercado de volta aos seus lugares.
-Ajudar os clientes do supermercados a carregarem o carro com suas compras.
 -Distribuir garrafas de água para quem fazia cooper, caminhada ou pedalada, enquanto ela andava de carro [ela disse que se sentiu parte da equipe do Iron Man!]
 -Deixar cair, aleatoriamente, moedinhas no parque, pras crianças acharem – e ouvir os gritinhos delas achando as moedinhas, enquanto ela ia embora.
 -Alimentar parquímetros – que é que nem uma zona azul, ou a pessoa tira o carro da vaga quando acaba o tempo ou coloca outro cartão.
 -Pagar o pedágio para os dois próximos carros atrás dela na fila – e ouvir o funcionário do pedágio dizer “você só pode tá brincando!”.
 -Distribuir pirulitos pras crianças – com a permissão dos pais.
 -Comprar um cartão-presente no supermercados e dar pra mulher atrás dela na fila – ela teve que sair antes que começasse a chorar de felicidade junto com a mulher!
 -Passar na mesa onde uma família almoçava e deixar um cartão-presente.
 -Entregar vários cartões de “obrigado” escritos à mão, junto com alguns donuts, na estação policial.
 -Dar doze donuts quentinhos para os trabalhadores que arrumavam a fiação elétrica no frio.
 -Levar uma sacola enorme de roupas para o abrigo dos sem-teto.
 -Esconder em três livros cartões-presente com bilhetinhos, na livraria.
 -Pagar pelo café da mulher atrás dela, na fila da Starbucks.
 -Sair correndo atrás de balões de aniversário que escaparam de um carro, e colocá-los lá de volta, e assistir de longe o dono, chegando no carro, surpreso porque os balões estavam no banco da frente.
 -Deixar bilhetinhos nos carros do estacionamento desejando um ótimo dia e que Deus os abençôe.
 -Entregar balões às crianças que estavam com seus pais no shopping.
 -Levar suplementos de arte para a sala de espera da ala de maternidade do hospital, para distrair as crianças que esperavam por seu irmãozinho nascer.
 -Deixar animais de pelúcia na ala infantil do hospital.
 -Distribuir balões pros pacientes, no hospital.
 -Distribuir garrafas de água para as enfermeiras – e ficar surpresa de como elas precisavam de água!
 -Colar moedas de troco nas máquinas de vender bebida – e ver gente passando e tirando foto sem pegar o troco.
 -Colocar gasolina no carro da mulher, no posto. E ainda colocar um aditivo que ela pediu. Tudo isso só pra ela não sair do carro, no frio.
 -Deixar moedas de 25 centavos nas lavanderias – lá nos eua a gente leva a roupa pra lavar, e coloca moedas de 25 centavos nas máquinas, pra dar um ou dois dólares e pagar a lavação.
 -Entregar cartões de dia dos namorados escritos à mão na casa de vida assistida – que deve ser onde idosos e gente doente que precisa ficar na cama, com enfermeiras, ficam.
 -Comprar créditos para uma jovem, que não tinha dinheiro e precisava falar com sua família, que mora em outra cidade.
 -Distribuir chocolate quente na pista de patinação no gelo.
 -Deixar donuts nas mesas de café, da igreja.
 -Dar café para o funcionário do pedágio, que pareceu não se importar nem mostrou felicidade – que era provavelmente a pessoa que mais precisava de um ato de bondade.
 -Pedir pro caixa do Mc Donald’s usar seu cupom de desconto com a próxima pessoa da fila.
 -Escrever uma carta para uma amiga e mandar pelo correio, à moda antiga.
 -Levar pratos de biscoitos para dois vizinhos que não conheço muito bem, e engatar um papo.
 -Ler história para crianças numa livraria – e a filha dela achou um amiguinho e leu pra ele, também!
 -Tirar fotos de dois turistas na frente do Hard Rock Cafe, e de uma família no parque.
 -Levei a lata de lixo de volta, pro vizinho [lá nos eua, o pessoal bota os latões de lixo perto do meio fio, pra que o caminhão pegue o lixo e devolva o latão, aí as pessoas têm que ir buscar o latão de volta].
 -Juntei o jornal que a moça, com as mãos cheias de compras, deixou cair.
 -Deixei balinhas e um bilhetinho pro carteiro.
 -Li um livro inteiro da Junie B. Jones, os 9 capítulos, pras minhas filhas antes de dormir, ao invés dos dois capítulos de toda noite.

Então explico onde o PRECONCEITO entra, e é e meu comentário lá no blog : 'Algumas coisas com certeza parecem meio sem noção, mas acredito que se cada um de nós fizesse algo por uma pessoa o mundo seria melhor e fazer assim, sem se preocupar se vai ter retorno, ou um agradecimento!'

E o pior só percebi isso quando recebi a resposta da Rô : 'acho que parece sem noção porque a realidade dela é outra, diferente da nossa, e porque a gente realmente não tá acostumado a ver gente ajudando assim. fazendo algo diferente, que agrada aos outro por livre e espontânea vontade. '

Então se você ainda não entendeu eu explico...PRECONCEITO porque ao ler o post logo digo que é  um ATO diferente e por não ter costume de ver, vou logo afirmando que é estranho e sem noção, e isso na maioria das vezes acontece com todos nós, em diversas situações, então sem hipocrisia alguma o que nos cabe é nos policiar sempre e tomar cuidado sim pra não magoar um outro alguem com nossos PRÉ- conceitos.
Agora me digam se essa não é uma historia pra se inspirar mesmo e sair fazendo o bem ?!!


Rô ainda diz no blog :

"Viu como é fácil, gente? A gente não precisa ser rico pra doar metade da nossa fortuna a uma instituição de caridade, não precisamos esperar ganhar na mega-sena pra ajudar os outros. A gente pode, no nosso dia a dia, fazer pequenos atos de bondade que alegram as pessoas. São atos inesperados, que aquecem o coração de quem recebe e de quem faz.
Vamos nos inspirar e aquecer os corações? Muita gente respondeu a ela, dizendo que num momento do dia pensaram nela e acabaram fazendo atos de bondade." 
 

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. São as atitudes... As atitudes!!!

    Post inspirador!!

    ResponderExcluir
  2. Ai que inspirador !
    Taí um texto que a gente tem que reler toda semana pra não esquecer nunca .


    bjim

    ResponderExcluir
  3. adorei o texto achei super bacana as ideias de amor ao proximo. e preciso fircarmos atenta para nao deixar que esse exemplo simplismente se apague. fazer o bem sem olhar a quem e sem esperar nada em troca isso e uma liçao de vida bjkas e obrigada por dividir isso conosco...

    ResponderExcluir

Bem vindo(a), obrigada pela visita !!!
Fique á vontade e não esqueça de seguir :)
Comentários são sempre bem vindos *-*

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©