O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

13 de jun de 2011

Alcoolismo



Martha Daúd - Psicologa

Ele é um dos problemas mais graves de saúde pública e, no entanto, poucos ainda associam o hábito de beber a uma doença.

Por ser uma substância lícita, em que a fronteira entre o aceitável e o excesso às vezes é tênue, acaba facilitando a travessia da fronteira entre hábito e vício.

E com conseqüências perigosíssimas para a saúde. Para piorar, justamente por não ser ilegal, muitas vezes o problema começa em casa. E com o aval dos pais, no caso dos menores.

O alcoolismo não é uma coisa só: o excesso e suas conseqüências podem vir de um momento de abuso, em que a pessoa bebe demais, mas não constantemente, ou podem aparecer naqueles que tomam um pouco além da conta, sem ficar completamente bêbados -- mas dependem de alguns goles todos os dias, religiosamente.

Só um médico pode fazer o diagnóstico com precisão. As conseqüências vão desde a embriaguez, que é uma intoxicação capaz de gerar alterações motoras, na fala e até coma, até o delirium tremens, um estado de confusão mental, alucinações e convulsões se não bebe.

Se você bebe todo dia ou bebe muito de uma vez só, tem hábitos perigosos e pouco saudáveis, pode estar abusando do consumo de álcool.

O abuso do álcool acontece quando uma pessoa continua a beber em grandes quantidades mesmo quando este tipo de comportamento traz problemas para sua vida.

A pessoa fica bêbada aos fins de semana ou então não consegue deixar de beber um único dia sequer ainda que não chegue a ficar bêbada.

Discussões em casa sobre bebida, problemas no trabalho e com a lei (como ser preso por estar dirigindo bêbado) são sinais de abuso do álcool.

Com o passar do tempo, problemas de saúde como pressão alta, danos no fígado e no aparelho digestivo começam a aparecer.

Profissionais da área de saúde fazem uma distinção clínica entre quem tem problemas com bebidas (abuso do álcool) e quem é viciado (dependência do álcool).

Ao contrário do que acontece na dependência, o abuso não envolve sintomas de abstinência, nem o aumento da tolerância ao álcool nem o fato de as pessoas se sentirem obrigadas a beber.

Esses são problemas enfrentados por quem é dependente do álcool, ou seja, alcoólatra.

Mas se quem apenas abusa do consumo de bebidas continuar com este comportamento por algum tempo, pode atingir o estágio de dependência e também se tornar um alcoólatra.
A dependência, também chamada de alcoolismo, acontece quando a pessoa precisa física e emocionalmente de bebidas alcoólicas para se sentir bem e relaxada.

Alcoólatras não conseguem parar de beber ou controlar a quantidade que bebem, mesmo que queiram fazer isso.

Muitos bebem escondidos ou mentem sobre a quantidade que bebem. O álcool passa a controlar suas vidas. Com o passar do tempo, a tolerância à bebida aumenta e é preciso beber cada vez mais para sentir os efeitos do álcool.

O consumo excessivo de álcool além de levar à dependência causa problemas de saúde como doenças do coração, pressão alta, infarto, doença no fígado, cálculo biliar, pancreatite e certos tipos de câncer.

Essas pessoas também sofrem preconceito...pense e se coloque no lugar...não faça com os outros o que vc não quer pra si...

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Não tenho vergonha de falar que meu pai é alcoólatra. Vi brigas terríveis dele com a minha mãe e cresci convivendo com meu pai mais bêbado do que sóbrio.
    HOje em dia ele está tentando parar pela milionésima vez, porque não admite que é alcoólatra. Como ele mesmo diz: "Paro e recomeço quando eu quiser".
    O que posso fazer é orar e pedir que Deus tenha misericórdia e um dia ele perceba que esse caminho não leva a nada.
    Parabéns pelo texto.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Que bebida gostam mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que no Brasil é a praga da cerveja. Comerciais a toda hora, praça de alimentação de shoppings cheias com pessoas bebendo chopp, cervejas em latões e até barrilzinho de chopp já vendem. Sou alcóolatra, reconheço, comecei criança e a família achava lindo, imagina! Já consegui parar por 13 anos e foi a melhor época de minha vida. Recaí em 2008, parei, voltei, parei e tornei a voltar, que inferno! Essa coisa do álcool ser aceito socialmente é inadmissível. A droga aceita socialmente. Tenho fé em Deus que este ano de 2013 paro e paro definitivamente, vou voltar a ser feliz. Ajuda espiritual é muito importante e resolve. O pior é o estigma que se carrega eternamente.

      Excluir
  3. Ola, estou fazendo um trabalho para a escola sobre preconceito com os alcoolatras, quem quiser contar sua experiencia vou adorar, seu nome ficara em total anonimato.

    Entrem em contato pelo facebook: Bruna inocencio

    ResponderExcluir
  4. Procure os Alcoolicos Anonimos
    Lá todos se entendem
    www.alcoolicosanonimos.org.br

    ResponderExcluir

Bem vindo(a), obrigada pela visita !!!
Fique á vontade e não esqueça de seguir :)
Comentários são sempre bem vindos *-*

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©