O preconceito não tem peso físico que possa ser contabilizado em uma balança, mas pesa bem mais que o corpo de um gordo.

O preconceito não tem sexualidade nem preferência por gênero, mas é tão violento quanto um estupro.

O preconceito não tem cor visível, mas com toda certeza é bem mais escuro que a pele de um negro.

O preconceito não tem preço ele é distribuído de graça, o preconceito é vivo e se move com rapidez de um lince, espalha-se como um vírus, impregna o mundo e permanece anônimo mesmo quando esta mostrando a cara.

Dê voz a sua luta, seja contra o preconceito seja ele em que seguimento social esteja, o peso do preconceito pode ser grande,

porem o peso da sua força é bem maior.(Milly Costa)

29 de jan de 2014

Viadinho x Sociedade

Cresci observando o movimento das pessoas, sou observadora de carteirinha, e uma das coisas que mais me chamava atenção era o comportamento dos homens em relação aos gays,  sempre que um gay passava na rua começava um festival de degradação humana, eu tinha 8 anos e não conseguia entender, porque tratavam tão mal uma pessoa que não fez nada apenas passou pela rua normalmente seguindo seu caminho como todo os outros faziam, mas porque aquela em especifico era tão maltratada, envergonhada, xingada e as vezes ate agredida, nunca vi a agressão física propriamente dita, mas vi enumeras promessas de faze-la chegando ate a pegar pelo braço e dar o aviso de que daria umas porradas na pessoa.

Depois de adulta entendendo a situação fui achando bem mais absurdo, um dia fui assistir uma apresentação de um grupo gay da faculdade federal aqui de Salvador,  ouvi uma frase que marcou profundamente, até hoje penso muito nela quando tento me explicar algumas coisas relacionadas a homofobia, no discurso de enceramento o rapaz falou: Nós os gays afeminados somos as pessoas que pagam por toda a raiva da sociedade, somos nós quem apanhamos e que somos descriminados em nome de todos os gays homens e mulheres, nós apanhamos e somos xingados nas ruas por todos vocês gays que não dão pinta, sapas que parecem amigas, é em cima de nós que descarregam todo o ódio.

Primeiro gostaria muito que as pessoas parassem de falar que essas reações resultado do medo do desconhecido, já não vejo mais por esse ângulo e digo isso porque desde que o mundo é mundo existem gays, essa reação não passa de uma maneira de negar a realidade é o controle absoluto do outro, o costume machista de por rédeas ao que lhes parece tomar o poder, ser um gay e principalmente afeminado é simplesmente discordar do padrão estabelecido e seguir sua vida do jeito que a natureza lhe criou, sem se forçar a manter uma postura rígida e desnecessária, mas o que o homem não controla ele rejeita não rejeita por medo do que não conhece e sim por medo de perder o poder.  

O gay com trejeitos femininos é a demonstração de que indivíduos fogem a regras impostas e por isso são transformados  nos cristos sociais, eles são pegos para correção surras, xingamentos desvalorização é a maneira mais fácil de meter medo nós outros e sendo assim manter a cabresto os possíveis transgressores , quando se apedreja um gay numa via publica como a Avenida Paulista o recado que está sendo enviado é simples, é como dizer a todos que ficaram sabendo do crime a seguinte frase, “Será o seu destino caso descumpra a ordem, caso siga fora do roteiro, faremos com você o mesmo que fizemos com ele”.


O “Viadinho” é a representação de que a tão falada virilidade poderosa e dominante do macho é apenas uma farsa, é a personificação de que um homem pode ser sensível, pode ser delicado e ainda assim ser homem  cumprir com a sua contribuição social mesmo não sendo o ogro que tem a todo custo se mostrar intocável sobre os outros seres que o torneiam. O Viadinho, coloca as características mais temidas e oprimidas nas mulheres em um homem, o carisma, o bom convívio, a inteligência e a doçura que agrega que agrupa os outros a sua volta, não é a toa que o homem reprime a mulher e também não seria a toa que o homem reprime violentamente o homem que consegue sentir como uma mulher. 

Usei o termo viadinho, pois foi uma das palavras que mais ouvi na vida sendo dita para desmerecer, repudiar, rebaixar e marginalizar o homossexual, porque citei os homens e não as mulheres se também existem mulheres  que fazem isso? Sim existem, mas é uma conta de 1 mulher para todos os homens heteros até mesmo os que dizem nãos ser preconceituosos e ter amigos gays, mulheres gostam de ter amigos gays por motivos variados. Faça as contas pense na realidade coloque sua cabeça pra pensar e descubra que até mesmo você já se referiu a um gay como viadinho só pra diminuir ele perante seu valor estupido e machista.

Bjo da Gorda Milly Costa 

20 de jan de 2014

O Racismo Feminista

Imagem divulgada pelo Femem
Hoje me considero uma negra feminista, e se alguém ai acha que tem diferença entre feminismo negro e feminismo branco, eu gostaria de dizer infelizmente tem sim e tem muito, dolorosamente eu achava que o feminismo era para todas as mulheres, mas com muita leitura e analises descobri que o feminismo é racista, olha que negocio estranho de se ler não é mesmo, mas é essa a realidade, estou começando a me descobri como mulher negra a partir da minha busca pelo feminismo veja que na minha concepção ignorante eu não queria me dedicar a uma militancia negra, pois já havia muita gente fazendo isso... 

Pobre ignorante que eu era, então fui atrás de saber mais sobre direitos femininos, porque vamos falar de mais um paradoxo gigantesco o país consegue eleger uma presidente   mulher, mas não consegue se livrar do machismo primordial e muito menos dar liberdade verdadeira para suas mulheres, falo em liberdade verdadeira porque ainda somos estupradas, espancadas e mortas e a policia acha que tudo é fricote, ainda precisamos de vagões masculinos e outro feminino, pois os nosso homens não tem controle mental e nem na genitália para não sentir vontade de atacar uma mulher que só quer ser conduzida ao seu destino.... 

Mas foi nessa busca que descobre a discriminação de grupos feministas, são em sua quase que totalidade mulheres brancas, falando para mulheres brancas e algumas delas colocando as mulheres negras em posição inferior, ora que tipo de proteção para mulheres é esse que busca dar apoio e cuidados a um grupo e fortalecer a violência em outro, que tipo de luta é essa? 
Recentemente tivemos imagem divulgada pelo Femem esse imagem ai de cima que abre a capa da materia onde uma mulher branca no poder é servida por uma mucama negra não bastando a branca tem em seu corpo a frase "foda-se a sua moral", quer dizer então que voltamos no tempo e as senhorinhas querem ser libertas de seus cativeiros, mas as negras que continuem sendo açoitadas pela sociedade. (para quem não sabe o Femem é aquele grupo de mulheres que tira a roupa em protestos pelo mundo)  

São coisas que militantes social não entendem, eu ainda que lutando por melhoras sociais nunca cheguei a me dar conta da existência do racismo feminista, e acho que a maioria das pessoas também não, se eu que sou negra e sinto isso na pele passei despercebida por um bom tempo, imagina quem é branco que não tem que interpretar o discurso já que não está sendo desfavorecido, não que não seja uma obrigação de todos lutar por igualdade, mas vamos falar a verdade, porque esse não é um espaço para hipocrisia, quem está sendo favorecido percebe menos, infelizmente a maioria de nós seres humanos só se rebela contra a opressão quando ela dói em nós, em quanto é nos outros a única coisa que temos é um sentimento de pena passageiro.

Prometo voltar e trazer mais sobre esse assunto de forma mais detalhada de acordo as minhas descobertas, nesse primeiro momento em que retomo o habito de escrever sobre preconceito, quero apenas deixar essa reflexão a quem lê o blog, para que possa elaborar um pensamento critico sobre o que foi dito.

bjo grande da Gorda Milly Costa

17 de jan de 2014

Normose - a doença do século - Deus me livre de ser normal !


Esse texto com toda certeza não precisa de comentário algum,apenas uma boa interpretação

"Todo mundo quer se encaixar num padrão. Só que o padrão propagado não é exatamente fácil de alcançar. 
O sujeito 'normal' é magro, alegre, belo, sociável, e bem-sucedido. Bebe socialmente, está de bem com a vida, não pode parecer de forma alguma que está passando por algum problema.
Quem não se 'normaliza', quem não se encaixa nesses padrões, acaba 
adoecendo. 
A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico e outras manifestações de não enquadramento.
A pergunta a ser feita é: quem espera o quê de nós? 
Quem são esses ditadores de comportamento a quem estamos outorgando tanto poder sobre nossas vidas? Eles não existem!

Nenhum João, Zé ou Ana bate à sua porta exigindo que você seja assim ou assado. Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha 'presença' através de modelos de comportamento amplamente divulgados. 

Só que não existe lei que obrigue você a ser do mesmo jeito que todos, seja lá quem for todos. Melhor se preocupar em ser você mesmo.
A normose não é brincadeira. 
Ela estimula a inveja, a auto-depreciação e a ânsia de querer o que não se precisa.
Você precisa de quantos pares de sapato? Comparecer em quantas festas por mês? Pesar quantos quilos até o verão chegar?
Não é necessário fazer curso de nada para aprender a se desapegar de exigências fictícias. 
Um pouco de auto-estima basta. 

Pense nas pessoas que você mais admira: não são as que seguem todas as regras bovinamente, e sim, aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida a seu modo. Criaram o seu 'normal' e jogaram fora a fórmula, não patentearam, não passaram adiante. 

O normal de cada um tem que ser original.
Não adianta querer tomar para si as ilusões e desejos dos outros.
É fraude. E uma vida fraudulenta faz sofrer demais.
Eu simpatizo cada vez mais com aqueles que lutam para remover obstáculos mentais e emocionais, e a viver de forma mais íntegra, simples e sincera. 

Para mim são os verdadeiros normais, porque não conseguem colocar máscaras ou simular situações. 
Se parecem sofrer, é porque estão sofrendo. 
E se estão sorrindo, é porque a alma lhes é iluminada.
Por isso divulgo o alerta: a normose está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderiam, se quisessem, ser bem mais autênticos e felizes." 

Prof. Hermógenes em "Normose"

Não poderia deixar de agradecer a uma amiga, Champa Madeva , que sempre descobre e divide textos maravilhosos como esse que sempre acabam virando post nesse nosso querido blog.Beijo na alma querida ♥

#WTFF??!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©